04/03/2008

Paul Watson, o afundador de baleeiros


Quando nascemos em um país sem guerras, e com razoáveis condições de sobrevivência, a tendência é crescer sem se preocupar com o que está além do universo do próprio umbigo. Estudamos, trabalhamos, compramos objetos supérfluos, e durante a noite nossa cabeça repousa tranqüila.

Em Novembro de 2000, lendo a revista Superinteressante, descobri em uma entrevista, um ser humano diferente. Um verdadeiro herói sem superpoderes. O capitão Paul Watson, o afundador de baleeiros!

Em 1970, era um hippie movido pela coragem de colocar a própria pele em risco para encabeçar a ONG mais conhecida do mundo. O Greenpeace. Só que sete anos mais tarde, ele deixa o Greenpeace por entender que precisava ser mais ativo, e menos burocrático. Segundo ele, ambientalistas não devem estar mais preocupados em vender produtos do que defender o planeta. Nascia assim a Sea Shepherd. (Eles também vendem suas camisetas, e aceitam doações, mas eles partem para a guerra. Não ficam na diplomacia inútil).

Nesses 30 anos de atuação, já afundaram 11 baleeiros. Simples assim... Com um navio mais rápido e mais pesado, ele força a colisão, e causa avarias nos baleeiros até afundá-los! Já foi preso dúzias de vezes, mas essa é a sua missão neste planeta azul. A caça sanguinária das baleias passou a ser menos rentável se existe um navio pelos mares com a missão de destruí-los.

A cada afundamento, seu navio “Steve Irwin”, recebe uma pintura como marca do feito. Pode ser a bandeira do país do baleeiro com seu respectivo nome, ou a tradicional bandeira pirata para os navios que não sejam patrocinados por uma pátria específica. Segundo Watson, ainda falta uma bandeira do Japão nessa coleção que você pode apreciar abaixo:



Mas neste mês, o “Steve Irwin” alcançou o baleeiro japonês “Nisshin Maru” no Oceano Antártico, e pelo seu porte não pode ser abordado pelos métodos anteriores. Não afundaram, mas já atrapalharam em muito a continuidade das atividades do “Nisshin Maru”. Centenas de garrafas contendo um preparado químico altamente corrosivo, e de péssimo odor, foram atiradas para o interior do navio.

Os japoneses alegam que 3 marinheiros foram atingidos, e que o líquido feriu seus olhos. O governo japonês classificou o ato como imperdoável, mas Watson se defende dizendo que este ataque foi filmado, e que nenhum projétil caiu perto dos marinheiros. O confronto criou um incidente internacional que ainda terá bons capítulos. Vamos aguardar...

Enquanto isso peço que você leia o conteúdo os links indicados.

A revista Trip, em Dezembro/07 também o entrevistou o Paul Watson, e você pode ler aqui a entrevista na íntegra.

4 legendas adicionais:

o amnésico disse...

O século XXI presencia o renascimento do capitão Nemo! Estou arrepiado!

Curioso, não? Países ditos democráticos podem se lançar em cruzadas genocidas, laboratórios comerciais testar venenos em animais vivos e vendê-los para pessoas desavisadas, leis internacionais de preservação ser ignoradas com pretextos ridículos (como no caso da caça japonesa de baleias), a fome, a doença, a miséria e a violência gratuita grassarem mundo afora, tudo isso e mais, visando apenas o lucro fácil de uns poucos sem a menor consideração pelo destino do planeta e seus habitantes, humanos ou não.
Tudo isso pode, porque não é contra a lei.

Contra a lei é ameaçar o banquete podre dos multimilionários, a orgia inumana das corporações, o progresso obsceno do capital-industrialismo e a má consciência da maioria silenciosa...

Morte sob tortura aos inimigos da Terra! Salve o novo capitão Nemo!

O ANTAGONISTA disse...

Cara, não conhecia esse cidadão... não sabia da sua história, mas achei demais... acho que nesse caso da caça às baleias, só agindo assim que vamos ter algum resultado...
Quanto ao show do Iron, nem me fale... fiquei me roendo para ir... apesar de não ser um super fã da banda, gosto do som e tenho vários discos em mp3... deve ter sio mesmo um puta show! Sorte sua que foi...

Vlw!

Anônimo disse...

Fiquei sabendo que os baleeiros matam os mamíferos do mar com um tiro lança que na sua ponta contém um explosivo. Explodem dentro do animal, que pode ficar até 1 hora vivo com as tripas estribuchadas. Tomara que esse Paul Watson afunde mais uns 30 navios baleeiros.

Mestre Splinter disse...

BRAVO!!!

Longa Vida ao Capitão Watson!

Related Posts with Thumbnails