30/04/2008

Guitar Hero: A salvação!


Em qual planeta você esteve nos últimos três anos se nunca ouviu falar no “Guitar Hero”? Só que na verdade eu acredito que a idéia para este jogo para Playstation é de outro planeta...
Jogos vendem mundos de ilusão, nos quais podemos esquecer da vida real por algum tempo, como uma forma de reabastecimento de felicidade. E isso o Guitar Hero faz com maestria! O nível de concentração necessário para acompanhar as notas que deslizam pela tela faz desaparecer os objetos e paredes da sua casa; e na sua mente surge um palco repleto de efeitos especiais, e uma platéia enlouquecida que te venera...


É, eu gosto de exagerar um pouco... Mas entenda que eu sou daqueles que acompanham os grandes clássicos do rock empunhando guitarras, e baixos invisíveis. E às vezes meus dedos se transformam em baquetas, e minha mesa vira a bateria do Neil Peart. Mas o que eu “toco” com mais virtuosismo é a guitarra! Sou um estupendo guitarrista imaginário! Hehehe...

Desde o surgimento do Guitar Hero, sempre tive vontade de experimentar deixar minha guitarra invisível de lado, e compensar minha falta de habilidade com uma guitarra de verdade de uma maneira mais interessante.
Tenho instalado em meu computador uma versão simplificada do Guitar Hero, que faz meu teclado sofrer no tempo livre que consigo, mas não é a mesma coisa... A posição das mãos, e o fato de estar sentado só valem como uma experiência paliativa.

Nessa semana encontrei em um fliperama, a máquina com a famosa guitarrinha sem cordas, e fui lá comprar as fichas e experimentar. Só que me contive e fui bastante discreto. As peripécias eu só faço quando estou sozinho... rs...

Mas dessa vez comecei a enxergar o Guitar Hero como uma salvação do bom gosto musical da próxima geração. Fiquei por algum tempo acompanhando a molecada que “tocou” depois de mim, e na minha frente foram surgindo o Alex Van Halen, o Slash, o Tony Iommi, o Richie Blackmore, o Jimi Hendrix... Fiquei emocionado em ver os meninos comentando como eram maravilhosos os clássicos do rock que eu imaginava que essa geração não ouvia. Não tinha nenhum emo lá!!!

Graças a Deus existe o Guitar Hero, e não o Cavaquinho Hero, ou o Pandeiro Hero.
O bom gosto agradece, e eu também!

4 legendas adicionais:

O ANTAGONISTA disse...

Olá Johnny, hoje é aniversário do blog e a "festinha" não estaria completa sem um bolo, uma taça de champangne e sua presença, é claro!!!

Te espero por lá, abraços!

O ANTAGONISTA disse...

Assino em baixo de tudo que você escreveu... Deus salve o Guitar Hero!!! E já imaginou o Safona Hero ou o Berimbau Hero? arrrrgggghhhh! Nem vamos dar essas idéias, vai que algum mané resolve pô-las em prática?!?!!

Abração cara, obrigado pela visita!

o amnésico disse...

Em qual planeta você esteve nos últimos três anos...

Bem... na borda deste aqui mesmo, onde as novidades musicais costumam vir acompanhadas de sanfona, cavaquinho, bonés com as abas viradas para trás e fivelas de cinto do tamanho de pratos...

"Oh, vida! Oh, dor!"

Como vai, Johnny? Obrigado por não ter esquecido do meu pobre blog abandonado e saiba, é um prazer voltar!
Mas se pensa que por vc ter sido gentil vou parar de te cobrar, engana-se! Hahaha!

Grande abraço!

Mestre Splinter disse...

Hehehehehe...apoiado, amigo, apoiado...

Related Posts with Thumbnails