09/12/2006

Superpopulação: Problema ou solução?

Não. Esta não é a seleção brasileira posando para fotos antes do jogo contra a França. O que esta imagem me inspirou tem a ver com superpopulação. As famílias de antigamente costumavam ser bem numerosas, e isso gerava o famoso comentário de que se essas famílias não se preocupassem com o controle de natalidade, os índices de miséria aumentariam consideravelmente.

Não contesto a teoria, afinal são muitas bocas para serem alimentadas, muitos cadernos e livros a serem comprados, e no futuro muitas pessoas para serem empregadas... Então, seria o controle da natalidade, a solução para os problemas sociais do terceiro mundo?

Mas existe um aspecto contraditório, porém verdadeiro. Os países europeus que tiveram um "boom" econômico com o fim da 2ª Guerra Mundial, experimentaram uma preocupante queda da natalidade após essa melhoria de vida. São o que chamamos de países de idosos...

Por outro lado, países com superpopulação tendem a dominar a economia no futuro. Certamente você já ouviu falar na sigla BRIC... Mas aqui eu fecho a idéia do post. Brasil, Rússia, Índia e China serão no conjunto a maior potência econômica mundial em 40 anos. A China já dá sinais bem claros que pode atingir esse posto bem antes, mas aqui no Brasil se discute a possibilidade de crescer 3,5%... Mas pensando com otimismo, se o PIB desses 4 países for mesmo o maior do mundo no futuro, nem assim dá para concluir que essa característica de ser superpovoado indique maior renda por habitante. É a maldita má distribuição!!!

8 legendas adicionais:

Lanark disse...

Já ouvi falar que o Brasil seria uma potência em 20 anos. Também ouvi falar que isso ocorreria devido ao destaque que o Brasil vem tendo nas pesquisas de combustível alternativo.

Mas pelo que me consta, ser potência não é sinônimo de qualidade de vida. Os Estados Unidos por exemplo, são a maior potência, mas o país com a maior qualidade de vida é a Dinamarca, não estou certo?

Só espero que crescendo mais ao mês, surjam mais empregos e invistam mais na educação. Consquentemente, nasça uma sociedade mais justa.

E tenho calafrios só de pensar um controle de natalidade no Brasil como o que é feito na China...

Johnny disse...

Está certo sim, Lanark!
Veja o caso da Índia. Faz parte do BRIC, e sua economia tende a prosperar, mas seu povo sofre os efeitos da superpopulação, e o que é bom para o país não significa repasse para o povo. Tudo uma questão de distribuição justa.

Monótono disse...

eu nao boto muita fé em economistas. acho que analisando a história todas as nações que se tornaram poderosas conseguiram seu status após vencerem guerras. Desde Grécia e Roma, e considerando a primeira e a segunda guerra sempre foi assim. E apeas das campanhas de paz, acredito ser extremamente difícil acabar com as guerras. Analisando as ``exceções`` como a parte da Europa que não enrou nas guerras, foram todos países ajudados pelos vencedores (Ingalterra, França, Eua), para assim se tornarem eternos aliados e têm hoje em dia os maiores indíces de qualidade de vida. A Alemanha também, pois após perder a guerra e ser dividida recebeu os maiores investimentos da história até então e assim cresceu e voltou a ser potência. A China talvez seja a grande exceção, pois não conheço nenhuma grande guerra que tenha participado, mas mesmo assim é uma grande potência militar hoje em dia e já fez sérias ameaças a Taiwan.

Portanto, dizer que essas economias emergentes, com contribuição de seu índice populacional, se tornarão potências em 40 anos, pode até ser verdade, mas em 40 anos acontecerá tanta coisa que acho impossível prever ao certo esse futuro incerto.

Monótono disse...

Johnny, não consegui te enviar um e-mail entao respondo por aqui msmo que não sei nada de html ok?
abraço

Miss Supahstah disse...

Será que o Brasil vai ter cacife pra dominar economia?
Acho que, às vezes, as pessoas se preocupam demais em "ser potência econômica" e se esquecem de melhorar a qualidade de vida do país... Isso é um absurdo! Acho que, primeiro, deveria-se resolver os problemas internos e depois pensar em algo como política externa.
Mas eu não palpito nada neste país, deixa quieto então.
E acho que o povo deve maneirar nessa história de população... Como diz a ONU, 2.1 filho por casal é o ideal, hehe... Acaba que no fim, chega a um equilíbrio,porque na Europa ninguém tem filho, e nos países subdesenvolvidos, o povo tem filho demais, hehe..

Ronan disse...

Controle populacional bom é o que vem da consciência de cada indivíduo. O que, pelos números atuais, é uma meta distante.

Renata disse...

Olá, bom dia!

Me chamo Renata, sou iconógrafa de uma Editora em Fortaleza. Gostaria de saber como posso, se possível, conseguir autorização para publicar o texto " Superpopulação: Problema ou solução?" em livro didático.
Seria possível?

Qualquer informação que possa me ajudar, será ótimo.

Desde já, agradeço.

Renata Alexandre
renatacastro@aridesa.com.br
refotos21@gmail.com

Johnny disse...

Renata,

Eu sou o João Angelo Pazzianotto, dono do blog Legenda Urbana, e autor do post em questão.

Seu pedido me enche de orgulho, e dessa forma concedo autorização para a publicação de meu texto.
Citem meu nome e meu blog, e eu é que serei muito grato a vocês.
(E me coloque na fila para a compra do livro quando o mesmo ficar pronto, ok?)
Se tiver algum procedimento formal, me oriente por favor.

Gostaria de aproveitar e informar que esse mesmo texto já foi utilizado em uma proposta de redação para o vestibular da Unifesp (Fundação Vunesp) em 2008.
Veja que interessante:

Os vestibulandos deveriam ler 5 textos sobre superpopulação, e em seguida elaborar um texto dissertativo, na norma padrão da Língua Portuguesa, argumentando sobre:
DE QUE FORMA A HUMANIDADE DEVE TRATAR A REALIDADE DA SUPERPOPULAÇÃO.

Texto 1: Citação Bíblica
Texto 2: Uma tira do Laerte (Cartunista)
Texto 3: Texto e ilustração do Millôr
Texto 4: Texto extraído da revista Super Interessante
Texto 5: O meu post no "Legenda Urbana".

Nossa! O que meu texto faz no meio deles? Fiquei nas nuvens!
Olha o link do Etapa comentando a proposta do vestibular:
http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/etapa/unifesp/prova2/redacao.pdf

Acho que o diferencial no texto foi encontrar um contraponto. Se todos apontam os problemas da superpopulação, eu percebi o que os países do BRIC tem em comum... A Europa precisou se unificar em torno do Euro para fortalecer a economia, e são países com população decrescente... É possível mesmo que essa teoria faça sentido...

Então, eu me coloco a disposição para qualquer outro esclarecimento e ajuda.

Atenciosamente,
João Angelo Pazzianotto

Related Posts with Thumbnails